O erro Himalaya

Cometemos um erro do tamanho dos Himalayas se pensamos que ao ter uma vida religiosa ou espiritual séria e sincera, teremos um espaço mínimo que seja na atual sociedade de hipócritas e mentirosos. Os tempos de hoje é chamado Kali nos Vedas cujo significado é hipocrisia, desavenças, mentiras, enganações, inveja e tudo que é profano. Assim sendo o que pode-se esperar de tal situação? Até mesmo Jesus Cristo, Sócrates, Srila Prabhupad Saraswati Thakur foram massacrados por esta mesma sociedade. Então alguém que pratica vida espiritual sériamente deve estar preparado para agir para o seu próprio bem estar e pelo bem estar de outros sem esperar por absolutamente nenhuma recompensa afetiva vinda da parte de outros que são em sua maioria agentes de Kali. No mundo atual, pessoas honestas não tem chances na sociedade e nem desejam elas fazer parte de tamanha mentira e enganação. Todos eles sem exceção, foram mortos ou caçados, criticados ou difamados por aqueles cujo entendimento é completamente coberto pela ignorância e mesmo assim se julgam bastante sábios. Felizes serão aqueles que viverem uma vida espiritual sincera adorando o Senhor Criador de tudo e de todos com deleite e paz no coração, esperando apenas pela Graça Divina na forma de um não distante encontro com Ele naquele outro mundo transcendental. (baldev b.)

A intrísica natureza de bhakti- Bhaktivinod Thakur

A intrísica natureza de bhakti, Srila Bhaktivinod Thakur- Respeitáveis Vaishnavas, nosso único objetivo é saborerar e propagar o néctar da devoção pura (suddha-bhakti) ao Senhor Hari. Assim sendo nosso maior dever é compreender a real natureza de suddha-bhakti. Este entendimento nos beneficiará de duas maneiras. Primeiro, compreender a verdadeira natureza da devoção pura irá dissipar nossa ignorância no que diz respeito á bhakti e assim fazer com que nossas vidas humanas se tornem exitósas por saborerar o néctar derivado do nosso engajamento em bhakti na sua mais pura forma. Segundo, isto nos permitirá que sejamos protegidos das poluídas e misturadas concepções que hoje em dia recebem o nome de devoção pura. Desafortunadamente, na sociedade de hoje, em nome da devoção pura (suddha-bhakti) vários tipos de devoção misturada como karma-misra (misturada com atividade fruitiva), jnana-misra (misturada com conhecimento especulativo) e yoga-misra (misturada com vários tipos de processos de yoga), assim como várias concepções poluídas e imaginárias, estão espalhando como germes de praga por todos os lugares. As pessoas em geral consideram estas concepções poluídas e misturadas como sendo bhakti, as respeitam como tal e assim permanecem deprivadas da devoção pura. Estas poluídas e misturadas concepções são nossos maiores inimigos. Alguns dizem que não há valor algum em bhakti, que Deus é apenas um sentimento imaginário, que o homen tem meramente criado a imagem de Deus de acordo com sua imaginação e que bhakti é justo como um estado doentil de consciência que não pode nos beneficiar de forma alguma. Este tipo de pessoa, apesar de se opôr a bhakti, não pode nos causar muito dano, pois podemos facilmente reconhecê-los e evitá-los. Mas aqueles que propagam que devoção á Deus é o mais elevado caminho e ainda sim se atuam contra os princípios de suddha-bhakti e também instruem outros contra os princípios de suddha-bhakti, podem ser especialmente prejudiciais á nós. Em nome de bhakti eles nos instruem contra os princípios da vida devocional e finalmente nos guia a um caminho totalmente oposto ao da devoção á Deus. Então, com grande esforço, nossos preceptores têm definido a intrísica natureza de bhakti e tem repetidamente nos advertido a mantêrmo-nos longe destas concepções poluídas e misturadas. Eles compilaram numerosas literaturas para estebelecer a swarupa de bhakti, e dentre eles o Bhakti-rasamrta-sindhu é o mais benéfico. Para definir as características gerais na devoção pura, Srila Rupa Goswami escreveu, (1.1.11): anyabhilasita-sunyam jnana-karmady anavrtam anukulyena krsnanu silanam bhaktir uttama “O cultivo de atividades que são executadas exclusivamente para o prazer de Sri Krishna, ou em outras palavras- o fluxo contínuo do serviço á Sri Krishna, feito através de todo o esforço do corpo, mente e palavras, e através de expressões de vários sentimentos (bhavas), que não é coberto por jnana (conhecimento visando liberação impessoal) e karma (atividades visando seus frutos) e que é desprovido de todos os desejos a não ser o de dar felicidade a Sri Krishna. Isto é chamado de uttama-bhakti- serviço devocional puro.” É necessário entedermos que o Senhor Supremo na sua forma de Bhagavan é o único objeto de bhakti. Ainda que a Verdade Absoluta é uma só, Ela se manifesta em três formas; Brahman, Paramatma e Bhagavan. Aqueles que tentam perceber a Verdade Absoluta através do cultivo de conhecimento (jnana), não podem realizar nada além do Brahman (a forma impessoal de Deus). Através deste esforço espiritual eles tentam cruzar a existência material através do método de negação das qualidades do mundo material (neti-neti). Assim eles imaginam o Brahman como sendo inconcebível, imanifesto, sem forma e imutável. Mas meramente imaginar a abscência de qualidades materiais não ás garante uma maior realização da Verdade Absoluta. Eles debatem com evidência nos srutis que enfatizam a abscência de qualidades materiais no Supremo, que a Verdade Absoluta está além do alcance da mente e palavras, e que Ela não possui ouvidos, braços, pernas ou outras partes do corpo. Estes argumentos têm algum lugar nas escrituras, mas eles podem ser estabelecidos analisando a afirmação de Adwaita Acharya encontrado no Sri Chaitanya Chadrodaya Nayaka (6.67) escrito por Kavi Karnapura: Ya ya sruti jalpati nirvisesam As savidhatte savisesam Eva Vicara-yoge sati hanta tasam Prayo baliyah savisesam Eva “Em todas as afirmações dos srutis onde o aspecto impessoal da Verdade Absoluta é indicado, justo na mesma afirmação o aspecto pessoal também é indicado. Se analizarmos cuidadosamente todas as afirmações dos srutis como um todo, podemos ver que o aspecto pessoal é mais enfatizado. Por exemplo, um sruti diz que a Verdade Absoluta não possui mãos, pernas, olhos, mas entende-se que ele faz de tudo, viaja á todos os lugares e vê tudo. A compreensão pura desta afirmação é que Ele não têm braços materiais, pernas, olhos e tudo mais como as almas condicionadas têm. Sua forma é transcendental, significa que é além dos vinte e quatro elementos da natureza material, ou seja, é puramente espiritual.” (Nota- A adoração (archan) de uma forma específica e pessoal de Deus (vigraha) que é adorada pelos bhaktas neste mundo, é completamente diferente da adoração á ídolos (idolatria) executada pelos “panchopasakas” (adoradores dos cinco principais semideuses) e pelos “mayavadis” (impersonalistas). A adoração executada pelos bhakti-yoguis que possuem fé resoluta que a deidade adorada é não diferente do próprio Deus (vigrahavatara) e que sua composição é sac-cit-ananda- completamente espiritual mesmo aparecendo neste mundo através de elementos materiais (como madeira ou metal), é chamada de archan-vigraha. Tal forma adorada existe eternamente no mundo espiritual, foi vista com os olhos da devoção por sábios auto-realizados e é também descrita nos textos védicos. Por outro lado, os adoradores dos cinco semideuses e os impersonalistas simplesmente imaginam alguma forma de Deus para sua concetração ou meditação em algum objeto (visto por eles como material) visando obter o fruto de suas atividades piedosas ou liberação impessoal. Há um oceano de diferença entre a adoração de Sri Murti deliberada pelo Gaudiya Vaishnavismo e da idolatria performada pelos materialistas e impersonalistas) O significado é que quando o conhecimento espiritual é adquirido através do processo de negação, a Verdade Absoluta que é transcendental á ilusória potência (maya) é realizada apenas parcialmente. Apesar dos aderentes ao caminho de jnana-yoga serem incapazes de perceber que a Personalidade de Deus (Deus em pessoa- com forma, qualidades, atributos etc.) está além da matéria grosseira, se eles encontram um personalista, um mestre espiritual Vaishnava auto-realizado, apenas então eles podem ser protegidos do impedimento (anartha) do impersonalismo. Deve-se observar que o jnana citado acima é diretamente oposto a bhakti como foi mencionado. Porém há dois tipos de jnana; 1- conhecimento espiritual que tem como objetivo a liberação impessoal (mukti- como descrito anteriormente) e 2- conhecimento sobre a relação mútua (sambandha) entre o Senhor Supremo, a entidade viva e a energia ilusória. Este segundo tipo de conhecimento se manifesta no coração da entidade viva (alma, eu interior, real ser) através do cultivo fiel de atividades devocionais e é favorável á bhakti. Suta Goswami diz no Srimad Bhagavatam (1.2.27): Vasudeva bhagavati Bhakti-yoga prayojitah Janayatu asu vairagyam Jnanam Ca yad ahaitukam “A bhakti yoga que é executada para a satisfação do Supremo Senhor Vasudev, traz consigo o desapego de todas as coisas que não estão relacionadas com Ele e faz nascer o conhecimento puro que é livre de qualquer desejo de liberação e é direcionado exclusivamente á Ele” Aqueles que aderem ao caminho do yoga, no fim chegam apenas á realização da Superalma Onipenetrante- Paramatma. Eles não podem obtêr a realização do Senhor Supremo na sua Absoluta e última manifestação. Paramatma, Isvara, o Vishnu pessoal etc, são os objetos de pesquisa no processo de yoga. Podemos encontrar alguns poucos atributos de bhakti neste processo, mas isto não é devoção pura. Geralmente, os princípios religiosos deste mundo são todos meramente processos de yoga que buscam a realização de Paramatma. Não podemos esperar que no final todos eles finalmente nos guiem ao caminho mais elevado (bhagavat-dharma), pois existem numerosos obstáculos no caminho da meditação, antes de se realizar a Verdade Absoluta. Além disso, após praticar yoga ou meditação por algum tempo pode-se imaginar que “Eu sou Brahman” e então existe a possibilidade máxima de cair na armadilha do primeiro tipo de jnana- conhecimento impessoal. Este processo de yoga- Paramatma-darsana, realização da Superalma, apesar de ser mais elevado do que o jnana impessoal, não é perfeito. Astanga yoga, hatha yoga, karma yoga e todos os outros tipos de práticas de yoga, estão incluídos neste processo. A conclusão filosófica é que a realização da Superalma não pode ser chamada de devoção pura (suddha ou uttama bhakti). Srila jiva Goswami diz que a função do Paramatma é mais relacionada com a função da potência externa do que com a potência interna de Bhagavan. Então este aspecto da Verdade Absoluta é naturalmente inferior á Suprema e Eterna Forma do aspecto Bhagavan. Assim sendo, uttama-bhakti é apenas a devoção que é executada através do favorável engajamento em atividades que dão prazer a Sri Krishna, que não são cobertas por karma, jnana, yoga etc, e que são desprovidas de qualquer outro desejo além do de satisfazer Sri Krishna. Isto é chamado de uttama-bhakti, devoção pura. Bhakti pura é a única maneira pela qual a entidade viva pode obter êxtase transcendental. A Verdade Absoluta que é realizada (compreendida) exclusivamente através do processo de bhakti é chamada de Bhagavan. Depois da criação do universo, Bhagavan entra nele (universo) através da Sua expansão parcial como Paramatma- Superalma. Novamente, em direta distinção do manifesto mundo material, Bhavan aparece como o Brahman impessoal. Assim, Bhagavan é o aspecto original de Deus e a Verdade Absoluta Suprema. Pela prática do cantar dos Seus santos nomes a pessoa pode realizar e ver a imcomparável beleza de Bhagavan com olhos transcendentais. Os processos de jnana e yoga são incapazes de nos aproximar de Bhagavan. (Nota: Apesar de ser Um “de acordo com tattva”, Bhagavan possui diversas formas pessoais e sentimentos internos “de acordo com rasa”, dentre as quais Sua forma como Sri Krishna em doçura transcendental inigualável (madhurya) é Suprema. Este assunto será mais detalhadamente tratado no próximo capítulo.) O processo de bhakti é praticado com o único objetivo de alcançar o estágio de bhav. Este desejo (alcançar bhav) é altamente remondável ao praticante e não está incluído na palavra abhilasita (desejos contrários á devoção pura). Qualquer outro desejo a parte deste deve ser rejeitado. (Exemplo: bhukti- desejo de gratificação dos sentidos e mukti- desejo por liberação). A busca por bhukti (exploração dos objetos sensoriais, desfrute mundano) força a entidade viva a se tornar subordinada aos seis inimigos liderados pela luxúria e pela ira. Para bandonar o desejo por bukti, a entidade viva não precisa rejeitar os objetos dos sentidos e ir viver na floresta. Meramente viver em uma floresta ou aceitar a vestimenta de renunciante (sanyassi) não livrará a pessoa do desejo por bhukti. Se bhakti residir no coração do devoto, então até mesmo se ele viver em meio aos objetos dos sentidos, ele será capaz de permanecer desapegado deles e será capaz de abandonar todo o desejo por bhukti. Srila Rupa Goswami diz que no começo do processo a entidade viva aceita os objetos dos sentidos com espírito de desapego apenas de acordo com sua necessidade, e com a consciência de que eles são relacionados com Krishna. Isto é chamado de yukta-vairagya. A renúncia daqueles que desejam liberação da matéria e rejeitam os objetos dos sentidos os considerando ilusórios é chamada de phalgu-vairagya- inútil. Não é possível para uma alma condicionada abandonar completamente os objetos dos sentidos, mas por mudar a tendência exploradora para com eles e mantendo o entendimento da relação deles com Krishna, verdadeira renúncia pode ser obtida. Isto não é chamado de gratificação dos sentidos. (A maneira como a pessoa atua, de forma desapegada e com a compreensão correta da relação dos objetos com Deus, é o ponto enfatizado aqui). Devemos tentar perceber este mundo de tal maneira que tudo apareça estar relacionado com Krishna. Devemos ver todas as entidades vivas como sendo servas eternas de Krishna, os jardins e rios como sendo prazeirosos lugares para as brincadeiras de Krishna, os alimentos para serem servidos como oferenda para Seu prazer etc. Quando um devoto desenvolve tal visão do mundo externo, ele não mais vê os objetos dos sentidos como estando separado do próprio Bhagavan, por outro lado, a tendência de desfrutar da felicidade obtida da gratificação sensorial intesifica o desejo por bhukti e finalmente desvia o praticante do caminho de bhakti. Por aceitar todos os objetos deste mundo como instrumentos para serem usados no serviço a Krishna, o desejo por bhukti é completamente erradicado do coração, permitindo assim que a devoção pura se manifeste. È imperativo abandonar o desejo por bhukti e mukti. (Do livro “Bhakti tattva Viveka”)

Heart touching discourse of Srimad Gour Govinda Goswami Maharaj after his ban from GBC.


Mantra de festim- Da biografia de Param Gurudev escrita por Srila Gurudev B.V.Narayan Goswami


Mantra de festim

   O honorário Sri Sitanath Bhaktitirtha, um discípulo de Sri Bhaktivinod Thakur era considerado um excelente kirtaniya (cantor de canções devocionais) e era perito em todos os tipos de raga, ritmos, entonações e modulações de voz. Também era perito em tocar harmônio, esaraj, vina, mrdanga, tabla e outros instrumentos. Após o festival Bhaktitirtha prabhu sentou-se do lado de Sri Vinodbihari e começou a cantar. Ele começou cantando o maha-mantra em vários ritmos com acompanhamento do harmônio e modulava sua voz de tal maneira que ele demorava de dez a quinze minutos para pronunciar as dezesseis palavras do hare krishna maha-mantra, desde o primeiro hare até o último hare. Além disso, ele gesticulava excessivamente com suas mãos para exibir seus sentimentos devocionais.
   Pouco depois, quando Sri Vinodbihari Brahmachari estava com Srila Prabhupad, Prabhupad o instruiu: “Você escutou o kirtan? Você poderia ter pronunciado o maha-mantra cinqüenta vezes durante o tempo que ele gastou para pronunciar ‘hare krishna’ uma só vez. Aqueles que não têm gosto pelo santo nome e pela sua deidade adorável estão apegados apenas ao canto com diferentes entonações melódicas para sua própria felicidade pessoal. Eu chamo esse povo de tal-thoka sampradaya (pessoas que só estão interessadas no ritmo e não no sentimento devocional). Nossa inércia e todos os tipos de impurezas podem ser erradicados se cantamos o maha-mantra com fé e em voz alta. Todos os nossos desejos serão satisfeitos se cantamos da maneira correta. Os membros da tal-thoka sampradaya estão completamente enredados no benefício material, no desejo de ser adorado e na fama. Os Vaishnavas puros sempre ficam longe disso e executam sadhana do krsna-nama com muita fé e concentração. A forma, passatempos transcendentais e qualidades de nami-prabhu se manifesta no coração daqueles que realizam nama-sankirtan desta maneira. Amor puro por Deus só pode ser despertado através do canto apropriado”. Através deste incidente, Jagad Guru Srila Prabhupad ensinou a seu qualificado discípulo, como o nama-bhajana deve ser executado.
   Outra vez, Sri Sitanath Bhakti Tirtha permaneceu um tempo em Sri Yogapith Mayapur. Um dia ao amanhecer ele começou a cantar ‘rai jago rai jago’ com uma voz bem doce e com o acompanhamento de seu harmônio. Srila Prabhupad escutou e o repreendeu. Prabhupad lhe disse: “Primeiro desperte-se a ti mesmo. Isto significa que primeiro você deve se estabelecer em sua forma espiritual eterna e só então você poderá acordar Rai (Srimati Radhika)”. Srila Prabhupad disse a seus discípulos que os kirtans que contém versos muito exotéricos sobre o unnato-ujjala-rasa (sentimentos de amor devocional direcionados a Srimati Radhika) não devem ser cantados em qualquer lugar como distribuídos no mercado de rua diante de pessoas desqualificadas.
 
(Do livro “Acharya Keshari Srila B.P.Keshav Goswami- Sua vida e ensinamentos)

O êxtase divino não é subordinado á nós.



Sree Sree Guru Gaurang Jayatah!


A Bem-Aventurança Absoluta não está subordinada a nós.


A Bem-Aventurança Absoluta é a Pessoa Suprema – Parabrahma. Ele é onipotente e onisciente. Não há nada igual a Ele ou maior que Ele. A Bem-Aventurança Absoluta pode tomar a iniciativa. Ele não é uma figura inconsciente. Nós cometemos tremendo erro (Himalayan Blunder) quando nós pensamos que a Bem-Aventurança Suprema é subserviente a nós. Ninguém no universo pode ter contato com Ele por um humor de desafio. Aqueles que fazem essas tentativas para a realização da Bem-Aventurança Absoluta por seu intelecto finito e esforços mentais, serão totalmente frustrados e essa morada transcedental, e espiritual e cheia de bem-aventurança, vai permanecer para sempre secreto para eles. Nós não podemos nos aproximar dEle pelo processo de ascenção. Ele irá descer para uma alma completamente rendida. Isto é dito categoricamente no Gita (7.15). As pessoas demoníacas e perniciososas nunca irão se submeter ao Senhor Supremo. Logo após disso também é dito – 4 tipos de pessoas que tiveram boas impressões espirituais eternas vão ter a tendência a adorar a Ele. Em respeito a isso, a evidência está no Srimad Bhagavatam (7.6.3), o conselho de Prahlad para os meninos demoníacos: “Ó meninos demoníacos! Almas corporificadas, devido a sua conexão com o corpo, foram produzidos a paixão dos órgãos dos sentidos para os  correspondentes prazer dos sentidos. Mas estes prazeres materiais virão automaticamente sem esforço, de acordo com o nosso destino prévio, consequetemente não é apropriado ou necessário fazer esforços para obter prazeres mundanos, porque por estes esforços a duração de vida da pessoa será perdida. Nós vamos obter bem estar eterno por adorar os pés de Lótus do Supremo Senhor Krsna. Mas nós nunca vamos obter tal benefício por esforçarmos-nos por prazeres materiais.”


Sua Divina Graça Srila Bhakti Ballabh Tirtha Goswami Maharaja.




(Agradecimento a Anadi Krsna prabhu pela tradução)

Show para agradar o público ou pregação?


Show para agradar o público ou pregação?

Srila Prabhupad Saraswati Thakur

   Todo mundo é cobiçoso para receber adoração de outros, e não para adorar a Verdade Absoluta. Aqueles que fazem um show de pregação não perturbam a humanidade, mas ao invés disso mantém a presente mentalidade de todos enquanto ficam ocupados protegendo sua própria existência. Então, desde que a popularidade de alguém não é servida por falar ou escutar a verdade, dificilmente há a propagação da verdade. Itens puros são raros e e não são facilmente obtidos e então não são muito apreciados. Similarmente não há respeito por aqueles que não iludem as pessoas e que estão ocupados tentando direciona-los a Deus através do canto do Nome e qualidades de Krishna (hari-katha). Hoje em dia é moda ser enganado por aqueles que em nome da religião, iludem as pessoas. Reais devotos não falam para satisfazer a audiência. Eles não enganam o povo. Muito pelo contrário, reais devotos revelam os defeitos dos enganadores que adoram satiafazer o público. Apenas pessoas afortunadas aprendem a serem cuidadosas após escutar as palavras do Santos. Mesmo que as palavras dos devotos genuínos possam parecer contradizer nosso presente gosto e experiência, na verdade elas são super auspiciosas para nós.

Não sejam loucos


Não sejam loucos

Srila Gurudev B.V.Narayan Goswami

 

   Anteriormente, em vidas passadas, todos vocês foram até mesmo semi-deuses. Vocês também vieram em forma humana anteriormente, mas perderam aquela chance. Novamente, depois de milhões e milhões de nascimentos vocês agora estão em boa associação com um corpo muito bom. Isto é como um forte barco com ventos favoráveis. Krishna arranjou para que vocês tivessem esta associação de alta classe devocional.  Krishna deu a todos vocês esta oportunidade auspiciosa, mas ainda sim vocês pensam: “Eu quero uma boa garota jovem, que é muito bonita. Eu quero casar e saborear o desfrute sensorial”.

   Aqueles que pensam assim são tolos, pessoas loucas. Eu não consigo achar nenhum nome apropriado para eles. Não fiquem irado comigo por dizer isso, mas eles são patifes- piores do que porcos e porcas.

     Ó meus queridos patifes, não vão por este caminho. Venha para fora disso já e fique comigo. Venha de volta a Deus, volte para casa! Até mesmo vocês pessoas mais velhas, porque vocês desejam casar novamente? Talvez vocês sejam muito luxuriosos. Meus queridos amigos, não fiquem bravos comigo. Eu sou seus eterno bem querente, então venha e me siga. Pela ordem de Srila Bhaktivedanta Swami Maharaj, meu Gurudev e meu Guru-parampara, vim aqui para salvar vocês deste vasto oceano de luxúria. Não vão pela direção oposta. Do contrário, uma grande batalha Mahabharata virá até vocês e vocês serão mortos. Tente realizar este fato. Fique livre de todas estas coisas mundanas. Sejam bastante cuidosos.

Bhagavat lkatha

Recomeça nesta quarta feira - 18:30 a recitação do Rei de todos os Vedas, Puranas, Upanisads etc..- Sri Granth-raj Srimad Bhagavat, a partir do primeiro canto. Todos são bem vindos- Haribol!
Se você deseja cantar o Nome de Krishna, então associe com os devotos puros e deixe de lado todo desejo por desfrute, liberação e poderes sobrenaturais.
Abandone as dez ofensas, honra, desonra, tolere o mundo de forma desapegada, e cante o Nome de Krishna.
...
Aceite tudo que é favorável á devoção por Krishna e rejeite tudo que é desfavorável á devoção por Krishna.
Abandone todo apego ás atividades materiais e esforços baseados em conhecimento e yoga. Rejeite a ‘renúncia do macaco’ na qual o objetivo é apenas o desfrute corpóreo.
Saiba ao certo que: “Krishna me protege e me sustenta”. Ponha um fim nos seus problemas através da auto-rendição e humildade.
Compreendendo que é muito difícil para a alma encontrar uma pessoa santa, Krishna veio á Nadiya na forma de um devoto puro.
Ó alma inteligente! Tome refugia-te nos pés de lótus de Goura. Quem além de Goura é realmente um santo ou Guru?
Porque uma alma cujo coração foi limpo de todas as misérias ao se abrigar no refrescante luar que emana das unhas dos pés de Krishna que são como joias, irá ansiar pelo escaldante sol do desfrute mundano? O coração de tal devoto permanece sempre tranquilo. (Sri Prem Vivart)